Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Branco às Riscas

Um blog normal sem nada de especial de uma sonhadora inconformada.

29.04.19

Quem? Nervosa eu? Nah!

Paula Ribeiro Santos
Pálpebra a tremer? Pequenas arritmias? Dificuldade em respirar? Palpitações? Neste momento tenho tudo… Sabia que ia ser difícil, sempre que pensava neste assunto o meu coração parecia acelerar e uma angustia inexplicável tomava conta de mim. Hoje tornou-se realidade. O Afonso está a ter o seu primeiro dia de escolinha. Claro está, que estou aqui de coração nas mãos, sempre a olhar para o telemóvel, são 12h e até agora o telemóvel não tocou, penso que posso (...)
23.04.19

Pessoas que confundem cordialidade com graxa

Paula Ribeiro Santos
Uma coisa é seres profissional e cordial no teu local de emprego, outra coisa é seres falso e ou graxista. Infelizmente quem não conhece o verdadeiro significado da palavra profissionalismo não sabe fazer a distinção entre estes dois tipo de postura no emprego.   Dentro da empresa se tiver que falar, falo! Se tiver que sorrir, sorrio! Fora da empresa, se não gosto da pessoa (com motivos) não faço fretes, não procuro temas de conversa, não procuro o convívio, afasto-me.   (...)
16.04.19

Lágrimas por Notre-Dame

Paula Ribeiro Santos
Imagem retirada daqui     Notre-Dame, local onde já fui imensamente feliz, majestosamente ladeada pelas margens do Rio Sena, palco dos mais belos filmes de sempre, mistificado por uma aura romântica imensurável. Depois de ontem… a nostalgia e uma saudade imensa. Sensação de grande comoção que apesar de parecer ridícula é (...)
09.04.19

O que não tem solução, solucionado está!

Paula Ribeiro Santos
O ano de 2018 foi um ano de aprendizagem, o ano de engolir sapos atrás de sapos e de repensar a minha postura perante a vida. Se aprendi alguma coisa? Sim, aprendi muito. Aprendi a ignorar quem e o que não interessa, aprendi a forcar-me naquilo que realmente é importante na vida, aprendi a dar mais valor àqueles que são os amigos de sempre e para sempre. Parece cliché? Talvez, mas é a mais pura das verdades! Ser grato por aquilo que temos, mais do que nos focarmos naquilo que (...)
22.03.19

Walk a mile in my shoes

Paula Ribeiro Santos
  "Walk a mile in my shoes Just walk a mile in my shoes Before you abuse, criticize and accuse Then walk a mile in my shoes"   Existem pessoas tão seguras de si que são incapazes de vislumbrar que em determinado momento não estiveram bem. Existem pessoas assumem que a sua verdade é única e não se dão ao luxo de ouvir a verdade dos outros. Existem pessoas que são incapazes de se colocar nos sapatos dos outros e ver a vida na perspetiva inversa. Existem pessoas que vivem (...)
30.01.19

Mães perfeitas, afinal quem são elas?

Paula Ribeiro Santos
Olho a volta é só vejo mães perfeitas... Mães que sabem a data do 1 dente, a data da primeira palavra, a data dos primeiros passos.  Mães carregadas de certezas, de verdade e de opiniões. Mães calmas, que nunca perdem as estribeiras, mães que andam sempre com os filhos um primor, seja do cabelo penteadinho ao ténis perfeitamente limpo. Mães que garantem com toda a convicção do mundo que as suas crias lavam dentes e cara todos os dias antes de deitar…  Posto isto, eu (...)
06.09.18

Eu sou amor!

Paula Ribeiro Santos
  Eu sou uma pessoa feliz e ponto! Não sou do tipo de pessoa que se tenta convencer de que está tudo bem quando não está. Não sou uma pessoa mal resolvida com o passado. Não sou pessoa de viver de aparência. Sou sim uma pessoa claramente feliz e isso transparece. Sim, tenho os meus altos e baixos. Sim, tenho os meus dias de cansaço extremo e de pouca paciência. Sim, também tenho problemas, dilemas, dúvidas, anseios e medos, porém sou do tipo de pessoa que em tudo encontro (...)
16.02.18

Estou ausente, mas estou por cá...

Paula Ribeiro Santos
Estou por cá, estou apenas cheia de trabalho, em fase de adaptação à minha nova função e cansadíssima. Sinto que se pudesse dormir 24h "non stop", era o que fazia sem pensar duas vezes. Não gosto de andar sempre a correr de um lado para o outro e ainda não me habituei à minha condição MÃE. Sinto que durmo mal, que sonho muito e que por isso tem dias em que acordo mais cansada do que me deito. A ver vamos, quero acreditar que este fim-de-semana coloco tudo em ordem: casa, (...)
30.01.18

Sobre as pessoas mal-amadas

Paula Ribeiro Santos
A vida não é fácil, todos temos altos e baixos, todos nós em algum momento da vida somos confrontados com montanhas que nos vemos forçados a ultrapassar. Se a nossa passagem pela vida é tão curta, porquê perder tempo com amarguras, cara fechada e deixar que as adversidades nos afetem. A amargura é um problema grave que começa numa pequena espiral desgovernada e que acaba por influenciar até quem está a nossa volta e nos quer bem. Ninguém gosta de ser saco de boxe, todos (...)